O dentista

“O Dentista” não se trata de mais um daqueles filmes de terror famosos e cheios de clichês. Trata-se de um filme muito aprazível e um prato cheio para os fãs de horror um pouco mais brega. Lançado na década de 90 ele veio para amenizar a chatice criada pelos repetitivos filmes de terror, como por exemplo, o “Pânico” que no final da década foi insistentemente produzido e praticamente copiado um dos outros. “O Dentista” retrata o ambiente de um consultório odontológico onde o profissional dentário Dr. Alan Feinstone (interpretado por Corbin Bernsen) tortura e assassina seus pacientes e colegas de equipe.O Dentista

Os pacientes são dos mais variáveis tipos: Desde a modelo fotográfica que pretende aperfeiçoar o visual do seu sorriso, até uma inocente criança que gostaria de tirar o aparelho dentário. Já Marvin Goldblum (interpretado por Earl Boen) é um agente da Receita Federal desonesto que sofre muito na mão do Doutor Alan, que o faz se arrepender de todos os seus pecados anteriores.

Tudo começa quando Alan descobre que sua mulher Brooke (interpretada por Linda Hoffman) está lhe traindo com o limpador de piscina (interpretado por Michael Stadvec). O dentista que já não tinha a cabeça das mais equilibradas resolve então descontar toda sua raiva e ódio em seus pacientes. Inicia sua vingança retirando todos os dentes da esposa. Após se vingar da mulher, começa a torturar e matar os clientes que comparecem à sua clínica para supostamente serem atendidos.

O diretor Brian Yuzna foi pioneiro na mudança de estilo de filmes de terror. A ideia original era de um filme levemente puxado para o horror brega e que também divertisse os telespectadores. Apesar dessa principal característica, o diretor Brian assegura-se de que o longa irá chocar e emocionar muito mais do que os antigos e clássicos filmes de terror. A crítica se atenta para uma suposta falta de enredo e sente a falta de um pouco mais de história sobre os personagens principais. Prometendo manter o interesse do público do inicio ao fim, ao contrario do que acontecia com filmes de terror antigos, onde havia algumas cenas fortes e chamativas, mas em geral não se tratavam de filmes que prendiam a atenção até o final.

 

 

O ator Corbin Bernsen foi muito elogiado e aclamado por seu papel de dentista cruel, alucinado e perfeccionista. O modo como interpretou os textos principalmente na parte relacionada à aversão e a indecência do sexo foi muito aclamado pela crítica. Bernsen se adaptou perfeitamente ao personagem altamente psicótico, não é fácil interpretar um papel desses, a maioria dos atores encontra muita dificuldade. Os outros atores do filme não tiveram uma atuação assim tão significativa, porém, nada que tenha prejudicado muito o resultado final, mas é inegável que uma escolha mais completa e adequada de casting teria dado uma credibilidade maior.

 

Por: Ricardo P.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *